Viúva de Gugu entra na Justiça para ser reconhecida como herdeira

Viúva de Gugu entra na Justiça para ser reconhecida como herdeira

A viúva de Gugu, Rose Miriam Di Matteo, entrará na Justiça para conseguir o reconhecimento de união estável com o apresentador da Record, com quem se relacionou por duas décadas e formou uma família.

Leia também Polícia afirma que Karol Eller começou briga por ciúmes e descarta homofobia

A informação foi publicada pela colunista Mônica Bérgamo no jornal Folha de S.Paulo, que fez uma entrevista com Rose Miriam.

A viúva de gugu, que é mãe dos três filhos com o apresentador explicou que não há briga e que ela está apenas buscando o que é seu por direito, e negou que não fosse esposa do apresentador da Record. Vale lembrar que ela e Gugu se conhecem desde os anos 80.

“Qualquer mulher no meu lugar faria isso. Está parecendo que é uma briga. Mas não é. Eu tenho todo o direito de me colocar no meu lugar – infelizmente, na condição de viúva. A própria família dele estava cansada de nos ver juntos, há 19 anos. Eu chamava ele de anjo. Nunca tive outro homem a não ser ele. Há pessoas que não querem aceitar a minha união estável com Gugu. Nós sempre fomos uma família. Marido e mulher, mãe e pai de três filhos. Só isso. É tão óbvio. Tenho inúmeras provas disso. Fotografias em casa, em viagens. Roupas dele em casa”, disse ela se referindo à casa em Orlando, nos EUA, onde morava com a família.

Miriam já deixou um testamento registrado em cartório em que abre mão de sua parte na herança e deixa sua parte para os filhos, vivendo apenas com usufruto dos valores para poder sobreviver.

Segundo a viúva de gugu, o objetivo não é ganhar dinheiro, mas ter seu direito reconhecido

Na entrevista para Mônica Bérgamo, Rose também explicou que não tem ideia de quanto se trata a fortuna de Gugu.

“Nunca fiquei perguntando. Não tinha motivo. O que sei é que o que é do pai é dos filhos. Já está tudo no nome dos filhos. Como o Gugu queria. Não quero nada para mim. É tudo deles. Eu só vou viver de usufruto para poder me manter”.